sábado, 27 de julho de 2013

Propósito


"Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face? Se subo aos céus, lá estás; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também; se tomo as asas da alvorada e me detenho nos confins dos mares, ainda lá me haverá de guiar a tua mão, e a tua destra me susterá." Salmo 139:7-10

Ontem uma amiga me fez uma pergunta que me deixou a pensar: Como é a vida no novo país?
Eu compreendi imediatamente a razão do entusiasmo em sua voz e a curiosidade da pergunta, afinal grandes mudanças produzem excitação, euforia, novidade. É natural do ser humano o desejo por mudança, por progresso, pela realização de sonhos, pela execução de projetos e planos. 
Alimentamos a ideia de que uma mudança de vida nos tornará mais felizes. Acreditamos que alcançar determinado objetivo nos trará realização. Se tão-somente eu pudesse ter aquele emprego, se eu pudesse ir morar naquela cidade ou naquele país, se pudesse me formar naquele curso, ou me casar com aquela pessoa... ah, aí então a minha vida seria diferente! 

Todos nós temos algo que queremos e passamos nossas vidas buscando alcançar, na certeza de que então seremos felizes. Muitas vezes cobiçamos o que não temos, acreditando que aquilo é o que nos falta para a felicidade plena. Não é à toa que existem tantas revistas e programas de televisão mostrando a vida de celebridades, daqueles que atingiram o objetivo de acumular fama e riqueza, de comprar a casa dos sonhos ou de casar-se com a pessoa mais bela do mundo. De conquistar algo que acreditamos que, se tivéssemos, aí então a nossa alegria seria completa.

Entretanto, tenho aprendido que toda essa busca por realização não passa de uma camuflagem pela busca de algo mais profundo: Propósito. Temos necessidade de um propósito na vida, de entender porque estamos aqui e qual a razão da nossa existência nesse mundo. Pessoas realizadas são aquelas que conseguem encontrar o seu propósito e entregar-se a eles com tudo o que são. São aquelas que finalmente descobrem o que devem fazer com suas vidas e alcançam os meios de realizar. Não é por outro motivo que as novidades dos famosos quase sempre são seguidas de notícias de divórcios, drogas, bebidas, prostituição e, muitas vezes, morte. Embora tenham alcançado o que a maioria da sociedade ironicamente ambiciona, não encontraram ali os seus propósitos de vida e, para sustentar o vazio de tal decepção, recorrem às farras, esbanjamentos, orgias, bebidas e drogas. Imagino que o grande questionamento que surge em seus mentes seja: Consegui tudo o que sempre quis, e agora? O que vem depois disso? O que mais me resta alcançar para me sentir realizado?

"Tenho lhes dito estas palavras para que a minha alegria esteja em vocês e a alegria de vocês seja completa. O meu mandamento é este: amem-se uns aos outros como eu os amei." João 15:11,12

Mas então, onde encontrar realização? Este texto da Bíblia nos deixa uma dica que a maioria de nós poderia atestar ser verdadeira, ainda que não conhecêssemos o versículo. Lembra daquela vez em que você andava passeando pelo seu bairro e um desconhecido, totalmente desorientado, lhe pede informações de como chegar a determinado lugar? Você então lhe dá todas as orientações que ele precisa e fica satisfeito ao vê-lo partir aliviado. Que satisfação é essa que você sente?
Ou daquela vez em que um amigo precisava tirar um boa nota em uma prova e você se sentou para estudar com ele, e a sua ajuda o fez passar na matéria? Que alegria é essa que você sente pela gratidão e sucesso do seu amigo? 
Ou ainda daquela pessoa que estava tão desesperada precisando pagar uma conta e você pôde ajudar com a quantia que ela precisava, sem que isso fosse peso pra você? Que satisfação é essa que surge no seu coração pela habilidade de socorrer alguém e pôr fim à sua angústia?
Que dizer da alegria de hospedar pessoas em sua casa e poder dividir com elas o conforto  e as delícias do seu lar?
Lembra de quando você pôde oferecer um ombro amigo, e as suas palavras trouxeram conforto e novo ânimo a alguém tão abatido? Enxugaram lágrimas, renovaram auto-estima? Você se sentiu tão útil na vida de alguém e isso te deixou feliz. Com uma sensação de contentamento e dever cumprido.

Que sentimentos são esses que experimentamos nas oportunidades que temos de servir ao nosso semelhante? Que realização é essa que encontramos nas pequenas oportunidades que temos de ser útil a alguém? Seria esse o segredo do nosso propósito de vida?

"Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas." Efésios 2:10

A realidade é que fomos todos criados por Deus para um propósito. Encontrá-lo é o segredo para realização de vida. Deus depositou em nós dons e talentos, possuímos habilidades só nossas, próprias para, de alguma forma, beneficiar alguém ao nosso redor, em nosso mundo.

O princípio da realização se encontra embutido nos mandamentos, amar a Deus, amar ao próximo. Tão simplista que não parece verdadeiro, mas sabemos ser verdade porque todos tivemos a oportunidade de experimentar a satisfação de servir a alguém ao longo das nossas vidas. Muitos de nós fomos feridos pela ingratidão, pela falta de reconhecimento, pela traição, o que acabou por cobrir de cinzas a alegria do amor que manifestamos de forma tão voluntária e desinteressada. Acabamos por restringir nosso amor pelo medo da ingratidão. Sufocamos aquilo que nos traz felicidade genuína pela dor da traição. Entretanto, o princípio da satisfação permanece ali, escondido por trás da fina cortina do medo e da dor, esperando para ser encontrado, caso desejemos abri-la.

Não por outro motivo o amor a Deus é o primeiro mandamento, mesmo antes do amor ao próximo. É por amor a Deus que encontramos força e motivação para seguir amando ao próximo, mesmo tendo sido feridos em algumas ocasiões. É o amor a Deus que nos mantém na trilha da satisfação do nosso propósito quando o amor ao próximo se torna difícil. Uma vez que nele, no amor ao próximo, está a essência da nossa realização, é importante que o amor a Deus seja a âncora que precisamos para nos impedir de sabotar a nossa própria felicidade. 

Quando atingimos esse entendimento, aí então o nosso amor alcança o nível mais refinado. Passamos a amar e a servir sem qualquer interesse em gratidão ou reconhecimento, mas apenas pela satisfação que experimentamos em, de alguma forma, ser útil ao nosso próximo e agradar a Deus. Nos basta o serviço, a ajuda, a utilidade, o socorro ao necessitado. Encontramos realização plena nos atos de amor em si, conforme Deus coloca em nossos corações.

"Tenham o cuidado de não praticar suas ‘obras de justiça’ diante dos outros para serem vistos por eles. Se fizerem isso, vocês não terão nenhuma recompensa do Pai celestial. "Portanto, quando você der esmola, não anuncie isso com trombetas, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, a fim de serem honrados pelos outros. Eu lhes garanto que eles já receberam sua plena recompensa. Mas quando você der esmola, que a sua mão esquerda não saiba o que está fazendo a direita, de forma que você preste a sua ajuda em segredo. E seu Pai, que vê o que é feito em segredo, o recompensará". Mateus 6:1-4

Volto, então, à pergunta feita pela minha amiga: Como vai a vida no novo país?
A busca pelos propósitos de Deus permanece. Não importa o lugar onde estejamos, nossa vida é a mesma, somos quem somos em quaisquer circunstâncias. Nosso ser anseia por propósito, por sentido, e a simples mudança de status ou de localidade não nos fornece isso. Onde quer que estejamos, ali Deus estará e ali deveremos buscar a sua presença. É somente nela que encontraremos a tão desejada realização.

"Uma coisa peço ao Senhor, e a buscarei: que eu possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida" Salmo 27:4.

3 comentários:

  1. Por aí mesmo Meire; uma vida sem propósitos é seca, vegetativa e conformista. É praticamente o sentido dela, tendo sempre Deus em todas as etapas. Você disse que os seres humanos sempre anseiam por novidades...eu não sou budista, mas ouvi falar que Buda disse: "quanto mais se deseja, mais se sofre"..em certas partes sim...acredito que o propósito convicto traz moderação..Se ganhei "graças a Deus" se perdi "graças a Deus" assim penso eu e tento viver...tento.

    Belíssima palavra irmã, Deus abençoe
    Visite, conheça e siga meu blog também, ficarei grato :)

    http://ezequiel-domingues.blogspot.com.br/
    Abraços e fique na paz!

    Ezequiel Domingues dos Santos

    ResponderExcluir
  2. Realmente precisamos de um propósito na vida, sem o qual, nada mudará em nossa vida.

    ResponderExcluir
  3. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
    Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
    siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

    ResponderExcluir

Oi, que bom te ver por aqui!
Gostou do blog? Então faça uma blogueira feliz. Comente!